AnéisDiamantes

Empresa suíça transforma cinzas de pessoas queridas em diamantes

Por 15/12/2014 Sem comentários

A empresa suíça Algordanza desenvolveu um jeito intrigante e pouco convencional de nos lembrarmos daquelas pessoas amadas que se foram. A empresa utiliza um processo de alta pressão e temperatura e para criar aquilo que batizaram de “memorial diamond” ou “diamante memorial”. A grande questão é que a matéria-prima desses diamantes são as cinzas resultantes de cremação.

01-diamante-azul-cinzas

02-anel-diamante-azul-cinzas

O processo é basicamente o mesmo usado na crianção de diamantes sintéticos. O carbono é extraído das cinzas resultantes da cremação e é transformando em grafite. O grafite, então, é submetido a alta pressão e temperatura para se tornar um diamante. A gema resultante tem, geralmente, em torno de 1 quilate e a cor é única para cada tipo de cinzas, variando do incolor ao preto. No entanto, a cor mais comum é o azul. O serviço custa entre US$5000 e US$20000, dependendo do tamanho do diamante. Os diamantes podem ser comprados como peças avulsas ou cravados em joias como anéis e pingentes.

03-diamante-cinzas-processo

04-diamante-azul-cinzas

05-diamante-azul-cinzas

06-diamante-azul-cinzas

07-anel-diamante-azul-cinzas

08-diamante-azul-cinzas

09-diamante-azul-pingente

10-diamante-azul

O dono da Algordanza diz que os seus diamantes são pequenos pedaços de memória indestrutíveis!

Veja mais informações no site da Algordanza – via My Modern Met

Procurei muito em várias joalherias um anel que estivesse à altura do que minha futura noiva merecia. Consegui tudo isso com a Poésie. Não à toa minha noiva ouve com certa frequência e com muito orgulho: 'este é o anel mais bonito de todos que já vi'.

Kadu

Ver coleção de anéis

Compartilhe com um amigo