Diamantes

Diamante: o que é, significado, características e curiosidades

Por 12/04/2017 maio 14th, 2019 2 Comentários

O diamante é uma das mais belas e preciosas criações da natureza. Valioso e desejado, é perfeito para criar joias incríveis para marcar momentos inesquecíveis de sua vida, como o pedido de casamento.

Que tal conhecer um pouquinho mais sobre esta pedra tão presente em modelos de anel de noivado, aliança e outras joias tão especiais?

1. O diamante é a pedra oficial do mês de abril

aliança-de-noivado-lien-ouro-amarelo-diamantes

Anel de Diamante Lien II

Existe uma antiga tradição que relaciona uma pedra específica a um mês de aniversário. Atualmente, o diamante é reconhecido como a pedra de aniversário, ou birthstone, dos nascidos em abril. Ele também é a gema que representa as bodas de 60 e 75 anos.

2. Qual o significado do diamante?

Com certeza você já ouviu a frase “diamantes são eternos”, não é mesmo?

Por ser uma pedra muito resistente e de dureza incomparável, a pedra se tornou o símbolo da durabilidade e da constância. Ela é, portanto, perfeita para representar o amor eterno, o compromisso e a fidelidade entre duas pessoas. O brilho translucido do diamante também é ligado à verdade, à pureza e à perfeição.

Essas características, entretanto, são apenas o alicerce de algo muito maior. Na verdade, os diamantes são pequenas preciosidades à espera de um sentido, que apenas você pode dar a eles. Sua história, seu carinho e devoção é que completarão o verdadeiro significado dessa admirada pedra. Assim, o significado de um diamante muda muito antes e depois de um pedido de casamento, antes e depois da entrega de um presente de dia das mães e até mesmo antes e depois de uma surpresa de aniversário.

Você tem algum diamante? Você, mais do que ninguém, sabe o verdadeiro significado dele!

3. Quais as características do diamante?

A composição química do diamante e sua estrutura o tornam uma pedra singular entre todos os minerais. O diamante é a única pedra natural composta de um único elemento. Tipicamente, o diamante é feito de 99.95% de carbono. Os outros 0.05% incluem alguns traços de outros elementos que não fazem parte da estrutura do diamante em si, mas que podem influenciar na cor e no formato da gema preciosa.

diamante-bruto-brilhante-diferença

foto: GIA

O diamante é o material mais duro do planeta: 58 vezes mais duro que qualquer outro material na natureza. Isso acontece porque estrutura de cristal do diamante é isométrica. Isso significa que os átomos de carbono são ligados da mesma maneira em todas as direções.

Já o grafite, que também é composto apenas de carbono, possui um processo de formação da estrutura do cristal muito diferente do diamante. O resultado é um material macio. Assim, enquanto você pode escrever com grafite em um papel, o diamante é tão duro que você só pode riscá-lo com outro diamante.

Esta gema também é bastante resistente ao calor. Só é possível derreter um diamante a uma temperatura de 5.500 °C, o que significa que os diamantes sumiriam apenas se a Terra entrasse em contato com o sol.

O diamante conta também com propriedades óticas notáveis. Com um índice de dispersão elevado (0,044) e um índice de refração de 2,417-2,419, o diamante consegue produzir um alto brilho e belos estouros de luz.

Por ser uma pedra natural, algumas qualidades do diamante variam de acordo com cada exemplar. Diamantes de melhor qualidade possuem menos impurezas e são quase incolores.

4. Resistência do diamante: o diamante é o mineral mais duro do planeta

Conforme descrito anteriormente, devido à estrutura química e às condições em que é formado, o diamante é a substância natural mais dura conhecida pelo homem.

A dureza é uma propriedade que mede a resistência que um material tem ao risco, ou seja, a retirada de partículas de sua superfície por um outro material. O padrão mais utilizado para medir a dureza é a Escala de Mohs, inventada pelo cientista Friedrich Mohs. Nesta escala, o diamante está no topo, apresentando uma dureza de 10 Mohs.

tabela-de-dureza-de-mohs-diamante.

5. O diamante quebra?

Diamante é uma palavra de origem grega, que deriva do termo adamas, que significa indestrutível. Por essa razão e pelo alto índice de dureza, muitos acreditam que os diamantes são inquebráveis, o que é um engano comum. Embora não sejam frágeis e tenham pouca tendência a sofrer fraturas, os diamantes podem, sim, se quebrar. Portanto, não são indestrutíveis. Se a gema fosse inquebrável, não seria possível sequer lapidá-la.

O diamante possui uma propriedade conhecida como clivagem, que determina alguns pontos de fraqueza ao longo de sua estrutura. Por causa dessa propriedade, é possível lapidar diamantes brutos, transformando-os em belas joias.

6. O diamante não surge a partir do carvão

Existe uma crença popular de que os diamantes são originados do carvão. No entanto, isso não passa de um mito. Diamantes são compostos de carbono puro e se formaram em condições extremas de alta temperatura e pressão. Já o carvão é formado a partir da decomposição de restos de vegetais, árvores e outras formas de vida.

Saiba mais sobre como se formam os diamantes.

7. Em que tipo de rocha é encontrado o diamante?

Estudiosos acreditam que todos os diamantes explorados comercialmente foram formados no manto terrestre e chegaram até a superfície através de erupções vulcânicas.

Os diamantes se formam sob enorme pressão e temperatura, a aproximadamente a 160 km da superfície da Terra, em rochas como Peridotitos, Lherzolitos e Wehrlitos. À medida que a mistura de magma, minerais e fragmentos de rocha se aproxima da superfície através das erupções, uma estrutura de cano começa a se formar. Essa estrutura rochosa é chamada de Kimberlito.

Atualmente, os Kimberlitos são responsáveis por quase toda oferta de diamantes disponível no mundo.

8. Os diamantes da sua joia têm mais de um bilhão de anos de idade

De acordo com alguns estudos, os primeiros diamantes se formaram há, aproximadamente, 2,5 bilhões de anos! E, como já vimos anteriormente, só poderiam desaparecer se a Terra, literalmente, entrasse dentro do Sol.

Então, a famosa frase “diamantes são eternos” faz algum sentido!

9. O Cullinan é o maior diamante já encontrado

Em 1905, na África, um diamante bruto de 3.106,75 cts (cerca de 612g) foi encontrado por Frederick Wells, a nove metros de profundidade, em uma parede da mina. Ele é considerado o maior diamante bruto já encontrado. A pedra foi batizado de Cullinan, em homenagem ao dono da mina onde foi achado, Thomas Cullinan.

diamante-cullinan-bruto

Frederick Wells, segurando o Diamante Cullinan, 1905 – Foto:Wikimedia Commons

Em 1907, este exemplar foi dado como presente ao rei britânico Edward VII, em seu aniversário de 66 anos, pelo governo de Transvaal, local da mina de Cullinan.

partes-do-diamante-cullinan

As 9 partes do Cullinan, 1908 – Foto: Wikimedia Commons

O Cullinan foi dividido em três grandes partes pelo famoso lapidador Joseph Asscher. Esses três pedaços deram origem a nove gemas (Cullinan I ao Cullinan IX) e a noventa e seis pequenos brilhantes.

Saiba mais sobre a história do diamante Cullinan.

10. Diamante brilha no escuro?

Alguns diamantes apresentam uma característica interessante: a fluorescência. Diamantes com fluorescência têm a capacidade de emitir luz visível quando expostos à radiação ultravioleta. Segundo um relatório do GIA, na última década, cerca de 25% a 35% dos diamantes analisados apresentaram algum grau de fluorescência, sendo que 95% dos diamantes que exibem fluorescência refletem tons de azul. Dificilmente, este aspecto é suficientemente forte para interferir na aparência do diamante.

diamantes-fluorescência

Alfinete em prata e ouro com rubis, diamantes, granadas e topázio. Na visão em UV LW, percebe-se a reação diferenciada dos diamantes, com maior predominância do azul, o vermelho no rubi e a ausência de fluorescência nas granadas e no topázio (ao centro) – Foto: Inventário da Arquidiocese de Évora

Sua busca pelo anel perfeito acabou

O que você está esperando?

11. Qual o valor de um diamante?

Até meados do século XX, não existia um critério de avaliação de diamantes. O GIA criou os 4 C’s como método para classificar as qualidades do diamante. Os diamantes são classificados em: Color – Cor, Carat – Peso, Clarity – Pureza e Cut – Corte.

O método deu certo e, atualmente, é o padrão mais aceito para avaliação de diamantes. Assim, o valor de um diamante é determinado pela combinação das quatro características presentes nos 4 C’s. Quanto melhor a qualidade de cor, pureza e corte, mais caro é um diamante. Da mesma maneira, quanto mais pesado for um diamante, mais caro é o valor por quilate.

32-comparacao-peso-diamantes

É importante entender que qualquer aumento sutil da qualidade e no peso do diamante pode ter um impacto enorme nos valor de uma joia. Isso acontece pois pedras maiores e de qualidade superior são mais raras, portanto, mais valiosas.

12. De todos os 4 C’s, o corte é a característica mais importante

Embora o senso comum costume dar mais ênfase à cor e à pureza, o corte é a característica que mais interfere no visual do diamante. O corte não diz respeito apenas ao formato do diamante, mas também às proporções e simetria da pedra. É a qualidade do corte que vai determinar o quanto a pedra vai brilhar e se irá produzir o famoso estouro de luz. Um diamante com uma cor ruim e um corte perfeito vai brilhar mais do que outro de cor boa, mas com um corte de má qualidade.

corte-diamante-brilho

Os diamantes acima apresentam, da esquerda para a direita, corte excelente, bom e inferior e foram expostos ao mesmo tipo de luz – Foto: Al Gilbertson and Barak Green/GIA.

13. Qual a cor de diamante mais valiosa?

Isso vai depender em que categoria se encaixa determinado diamante. Isso é importante, pois os diamantes incolores são classificados de maneira diferente dos diamantes conhecidos como Fancy.

Os diamantes incolores são classificados pela escala D-Z, onde D representa o diamante perfeitamente incolor e o Z uma amostra bastante amarelada. Segundo essa escala, o “D” representa a variação de cor mais valiosa.

É importante entender que a mais sutil diferença de cor pode elevar, e muito, o valor de um diamante. Veja abaixo um diagrama que compara diamantes incolores aos quase incolores.

escala-de-cor-diamantes-incolores-e-quase-incolores

No entanto, existem os diamantes conhecidos como Fancy, que apresentam tonalidades diversas por causa da presença de alguns elementos químicos tonalizantes em sua composição. Esse tipo de diamante é bastante raro: apenas 1 em 10.000 diamantes apresenta uma tonalidade especial considerada desejável.

diamantes-coloridos-gia

foto: GIA

Esses diamantes podem aparecer em quase qualquer tonalidade. Diamantes vermelhos, verdes, roxos, laranjas, rosas e azuis com tonalidades vibrantes são considerados mais raros, portanto, mais valiosos. Diamantes amarelos, marrons e negros são mais comuns e costumam ser menos valiosos.

No entanto, atualmente, a cor mais cara é o azul! O recorde foi registrado em um leilão da Sotheby’s, onde um diamante azul de 9,75 quilates, batizado de Zoe Diamond, foi vendido por cerca de US$32 milhões.

14. Quais os principais usos do diamante?

Em média, 80% dos diamantes extraídos no mundo não são apropriados para a confecção de joias. Essas pedras, rejeitadas pelas joalherias, são encaminhadas para uso industrial, fabricação de instrumentos de polimento, perfuração e corte.

15. Anel de diamante: modelos e inspirações

Tudo o que você leu até aqui sobre a história e características dos diamantes talvez não despertasse tanto interesse da humanidade se não fossem pelos anéis de diamante.

Sim, talvez o icônico anel de noivado solitário seja o grande responsável pelo sucesso e toda admiração que rodeia o diamante. Este famoso design, que dá total destaque para um diamante central virou praticamente sinônimo de pedido de casamento.

Sem dúvida, ao pensar em anel de diamante, a grande maioria das pessoas imagina um anel solitário em sua mente. Por isso, separamos alguns modelos mais do que especiais para você se inspirar.

anel-destiny-amarelo

Anel de Noivado Destiny II

anel-diamante-promise-amarelo

Anel de Noivado Promise II

anel-diamante-solitaire-branco

Anel de Noivado Solitaire I

anel-relique-amarelo

Anel de Noivado Relique II

anel-sakura-branco

Anel de Noivado Sakura I

16. O Brasil já foi um grande fornecedor de diamante

Por volta de 1400, a Índia era o único fornecedor de diamante do mundo. Nesta época, a gema começou a ser trocada e vendida em pontos comerciais por toda a Europa. No entanto, em meados de 1700, quando as jazidas da Índia começaram a ficar escassas, o Brasil se tornou o principal fornecedor de diamante do mundo, ocupando esta posição até meados do século XIX, quando uma enorme reserva foi descoberta na África do Sul. Atualmente, os diamantes são extraídos de diversas partes do planeta.

anel-solitario

Procurei muito em várias joalherias um anel que estivesse à altura do que minha futura noiva merecia. Consegui tudo isso com a Poésie. Não à toa minha noiva ouve com certa frequência e com muito orgulho: 'este é o anel mais bonito de todos que já vi'.

KADU

Ver coleção de anéis

2 Comentários

Deixe uma resposta